AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Empresas gaúchas recebem orientações sobre como superar barreiras comerciais

Indústria e Desenvolvimento

Para capacitar empresas gaúchas voltadas ao comércio exterior, a  Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) recebeu, nesta sexta-feira (24), o quinto dos nove roadshows sobre Barreiras Comerciais e aos Investimentos, previstos até outubro para percorrer o Brasil. A ação faz parte do projeto “Small Business without Barriers”, apresentado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) dentro da iniciativa “Small Business Champions”, da Organização Mundial do Comércio (OMC) e Câmara de Comércio Internacional (ICC). Este projeto fornece ferramentas de suporte às empresas brasileiras, especialmente às micro e pequenas, para melhor entender, identificar e remover as barreiras comerciais no mercado internacional.

Segundo o coordenador geral de Negociações Extrarregionais do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), André Favero, o comércio exterior tem papel importante na geração de emprego e renda no Brasil, mas barreiras comerciais impostas por outros países muitas vezes impedem empresas brasileiras de exportar. “Por isso, o governo criou uma plataforma tecnológica (www.sembarreiras.gov.br) com o objetivo de organizar informações e facilitar a interlocução com essas empresas”, diz Favero, que apresentou aos 20 participantes do roadshow o Sistema Eletrônico de Monitoramento de Barreiras – SEM Barreiras. Em suma, trata-se de um canal pelo qual o governo busca tomar providências e tornar mais ágeis as soluções para problemas relativos a barreiras comerciais.

A gerente de política comercial da CNI, Constanza Negri, explica que a finalidade da capacitação realizada em nove Federações Industriais do País é garantir mais conhecimento das empresas sobre os tipos de barreiras e medidas tomadas por parceiros comerciais do Brasil que podem prejudicar as exportações. “A tarefa começa com a empresa identificando os problemas e as práticas protecionistas que as prejudicam”, afirma Constanza, reforçando que existe desconhecimento em parte do setor privado brasileiro sobre esses tipos de barreiras. 


Crédito foto: Dudu Leal